Ribas do Rio Pardo

NOSSA SÉRIE SOBRE RIBAS DO RIO PARDO JÁ ALCANÇOU 280 MIL PESSOAS

Com recordes de envolvimentos, e alcançando matematicamente 280 mil pessoas, concluímos a segunda temporada de reportagens especiais em Ribas do Rio Pardo.
A cidade oferece grandes oportunidades de negócios e apesar dos 230 quilômetros que a separam da divisa do Mato Grosso do Sul, a movimentação econômica excepcional deve chegar também ao Estado de São Paulo.
Nestas reportagens de vídeo, oferecemos informações importantes sobre o futuro a pecuária de corte e seu consorciamento com o eucalipto, que não deu certo. Também se falou das carências extremas nas áreas de alimentação, hotelaria e moradia. São mais de 500 obras em andamento no município que tinha 15 mil habitantes e que já ganhou 10 mil e deve crescer muito mais. As obras da fábrica de celulose da Suzano já empregam centenas de trabalhadores. A prefeitura faz convênios com Sesc e Senac para tentar suprir as necessidades de mão de obra especializada. Enquanto isso, a zona rural também se prepara para uma nova fase. O hectare de cerrado em Ribas aumentou mais de 100% e os pequenos proprietários pensam em produzir mais alimentos. Os pecuaristas também sabem que se arrendarem suas terras para o eucalipto, jamais voltarão com essa atividade porque toda infra-estrutura é desmontada, incluindo cercas.
As fazendas arrendadas geralmente são de pessoas em vocação com a pecuária, herdeiras de gente que já morreu e que vem sendo substituída por quem não tem vocação de criação, recria e engorda de gado. Mas há resistências, e elas começam a aparecer em Ribas do Rio Pardo. Mais uma vez agradecemos aos colaboradores deste trabalho : Escritório do Biga em Ribas do Rio Pardo, Advocacia Marcelo Longo em Três Lagoas, Apoio Rural e Petiscaria Nova Opção em Andradina.
Tags